Favela Orgânica: reaproveitamento possível e acessível

Criado em 2011 na comunidade Babilônia-Chapéu Mangueira (na zona Sul do Rio de Janeiro) pela ex-empregada doméstica Regina Tchelly, o Favela Orgânica é um projeto que, além da sustentabilidade ambiental e econômica, promove também a autoestima e o empoderamento dos moradores.

Com o objetivo de ensinar moradores da região a aproveitarem os alimentos em sua totalidade, o Favela Orgânica já levou suas oficinas para outros diferentes estados do Brasil como Bahia, Pernambuco, Paraíba, Ceará, Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina, Paraná, Maranhão, Rio Grande do Sul e para o Distrito Federal, além do exterior, na França, Itália e Uruguai.

Com seu jeito simples e bem humorado de ensinar a aproveitar todas as partes dos alimentos da natureza, Regina chamou atenção de especialistas envolvidos em movimentos que pregam a alimentação saudável e sustentável, resgatando relações com os agricultores, como o Slow Food.

Entre 2012 e 2015, ela dividiu seus conhecimentos na Itália e na França, palestrando em um congressos internacionais de gastronomia. No último deles, em Paris, foi convidada para o painel de pessoas que estão inovando na gastronomia pensando no futuro. Ela também conquistou o Prêmio Trip Transformadores em 2015 e participou do TED Talks São Paulo sobre Ideias Empreendedoras.

Atualmente, além de ministrar oficinas culinárias em comunidades a universidades, também cuida de uma horta orgânica próxima à Associação de Moradores do Morro da Babilônia (que cedeu uma sala para a realização das oficinas) e preza por uma plantação sem agrotóxicos a preços acessíveis para os moradores.

O Trendnotes bateu um papo exclusivo com Regina, que falou sobre o ciclo dos alimentos, economia criativa e o papel do consumidor e do produtor para a sustentabilidade. Confira!

(Imagens: Divulgação Facebook Favela Orgânica)

 

POSTS RELACIONADOS

Mix de experiências, sonhos e trocas no centro do ...
views 248
À primeira vista, o ambiente parece propício à criatividade - basta dar uma olhada na vizinhança (o camelódromo da Rua Uruguaiana) para saber que o improviso da economia popular carioca está ali, à espreita. Entre prédios e salas comerciais (além de algumas universidades), o centro do Rio ganhou um ...
Meditação: a reconexão desconstruída
views 333
Ana Paula Borges, superintendente de Núcleo na FGV do Rio de Janeiro e instrutora de meditação no Instituto Ráshuah, teve uma trajetória profissional de marketing, com desenvolvimento de produto, em multinacionais farmacêuticas, e vivia entre reuniões, viagens, conference calls...assim como muita ge...
Pela sustentabilidade arquitetônica na favela
views 117
O Ateliê de Arquitetura de Favela proporciona obras e reformas através projetos sustentáveis, sem desperdício, seguros e mais baratos, ao mesmo tempo que capacita pedreiros e oferece toda a informação necessária para os moradores através de uma plataforma digital. Criada pela arquiteta francesa L...
TN Entrevista: Patrícia Davidson Haiat
views 993
“A saúde começa pela boca”. É provável que você já tenha ouvido essa frase pelo menos alguma vez na vida.  Nos últimos cinco anos, no entanto, a ficha parece ter caído de vez. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, o Brasil até 2015 (ainda não foram divulgados os dados oficiais desse ano) ...
A nova aldeia global é verde
views 364
A evolução do mundo se dá através de revoluções sociais. De tempos em tempos, a população parece ativar o modo “revolution”. “Espera aí, desse jeito está errado, vamos consertar!”, alerta o inconsciente coletivo. Nem precisa ir muito longe para explicar o que queremos dizer: vamos fazer uma breve vi...

Divulgado no TrendNotes por: Carolina Landi

Jornalista carioca com alma de artista e bailarina nas (poucas) horas vagas. Gosta do pop ao erudito, em todos os sentidos e artes. Acredita em empatia e sincronicidade. Curiosa, quer viver várias vidas nessa existência.

já postou 87 vezes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *