Edited-Main-image-Iran-BVH-20632309-1900x1080_c

12 destinos turísticos para esse ano

Como vocês sabem, eu amo viajar e sempre estou de olho em novos roteiros para desbravar. Animais selvagens, mata virgem e muita cultura são temas que estão em destaque nos itinerários de viagem deste ano.Escapismo e autenticidade são fundamentais, bem como trilhar pelas vastas montanhas do Quirguistão, apreciar a beleza natural da Islândia, visitar a terra dos pré-histórico lêmures de Madagascar (aquelas fofuras do filme de animação do mesmo nome), as danças tribais indígenas nas florestas tropicais da Papua Nova Guiné e os tesouros culturais de Taiwan são apenas alguns dos destaques que marcam 2016.

12 - Parque Nacional e Reserva da Baía Glacier, Alasca

Parques Nacionais dos EUA atingiram seu centenário em 2016, com celebrações em todos os 409 parques do território norte-americano. Uma maneira acessível para explorar a região é através de um pequeno navio que leva os visitantes ao coração das fronteiras congeladas. A Glacier Bay é parte do Patrimônio e Reserva da Biosfera da UNESCO. Por que visitar agora? Celebrar os 100 anos de Parques Nacionais dos EUA em um dos locais mais remotos da Terra parece uma ótima pedida.

 

11- Japão

É  um país bonito e fascinante. Turismo para o Japão é uma espiral. No entanto, muitos dos melhores pontos turísticos do Japão estão fora do mapa turístico.  Por que visitar agora? A Hokkaido, ilha remota no norte do país, será o centro das atenções em 2016 com a estreia do trem-bala de alta velocidade, Hokkaido Shikansen,  que parte de Tóquio. Hokkaido é um oásis de lagos glaciais com uma bela zona rural. A ilha de Fukuoka também será mais acessível à medida que novas rotas de voos, vindas da Europa, estiverem disponíveis. Os ciclistas vão encontrar o seu refúgio na Shimanami Kaido, uma das melhores rotas de ciclismo no Japão, com 70 metros.

10 - Gabão

Éden da África é um santuário paradisíaco na África Ocidental. Voando sob o radar, o Gabão se localiza entre os Camarões e a República Democrática do Congo. Segura e escondida, a ex-colônia francesa de planície ocidental selvagem possui uma selva espessa envolta em névoa densa. O Parque Nacional de Loango é uma aposta no futuro de ecoturismo. Porque ir agora? Visite em 2016, antes que o mundo acorde para Gabão: em 2017, o país vai acolher a Copa das Nações Africanas, o que irá aumentar o interesse turístico.

 

9- Guiana

Rodeado por florestas tropicais, o interior da Guiana é pouco povoado, sendo habitado apenas por algumas aldeias indígenas. A maioria dos guianenses residem na área do estreito litoral do Oceano Atlântico. A Kaieteur Falls é sua mais vasta cachoeira, atingindo um máximo de 76 metros e envolto em selva virgem. Vê-la de cima, num pequeno voo, é inesquecível. Por que ir agora? Você já ouviu falar de Iguaza e Angel Falls, leu sobre a vida selvagem de Galápagos e floresta tropical do Brasil, mas Guiana é um país pequeno, com todos os itens acima, onde você não vai se deparar com outro turista…ainda.

 

8 - Uganda

Metade dos gorilas das montanhas selvagens do mundo habitam a Floresta Impenetrável de Bwindi. Fazer um trekking para vê-los é uma experiência de vida selvagem.  Uganda possui vários parques nacionais, entre eles o Queen Victoria e o Kidepo Valley, atraindo muitos admiradores de animais selvagens. A Murchison Falls, fonte de Jinja do rio Nilo e Crater Lakes transformam a nação sem litoral em um oásis exuberante. Por que agora? O país tem a previsão de atingir a renda média per capta em 2040, em um plano incentivado pela recente visita do Papa.

7- Irã

Evocativa e antiga, moderna e atemporal, o Irã é um tesouro cultural com a cultura mais hospitaleira do mundo. Os viajantes retornam ecoando o calor que encontraram, quebrando estereótipos e desafiando a imagem política. Preenchido com 19 Patrimônios Mundiais da UNESCO, excluindo a última nomeação para o deserto de Lut, o Irã é uma confluência de cultura, história e beleza natural. Esquiar ou ir à praia, explorar mesquitas requintadas, mercados e madrassas, ouvir poesia persa clássica e comer culinária condimentada com o cheiro de encanamento em cidades românticas Shiraz e Esfehan. Yazd é uma cidade espiritual de casas de barro e vielas sinuosas. Por que agora? Autoridades iranianas preveem 20 milhões de turistas em 2025. A flexibilização atual das relações diplomáticas está promovendo mais rotas aéreas, seguro de viagem e vistos facilitados.

 6- Taiwan

Taiwan é  um dos segredos mais bem guardados da Ásia, com sua exibição deslumbrante de flores de cerejeira na primavera e a melhor comida do continente. A 180kms  da China, é limpa, verde e pacífica. A ilha é um paraíso seguro, onde as culturas e crenças convivem em harmonia.  A nação insular pode ser chinesa, mas se sente um mundo à parte. Por que agora? A eleição presidencial em janeiro de 2016 parece destinada a materializar uma tendência de mudança. O ecoturismo está decolando com força no local, com os taiwaneses interessados em vida saudável, natureza, conservação e produtos orgânicos.

5- Madagascar

A ilha que o tempo esqueceu localiza-se no ensolarado Oceano Índico, com 125 quilômetros ao largo da costa leste da África. O Jurassic Park original, onde os dinossauros vaguearam uma vez, é um caldeirão evolutivo pré-histórico de espécies endêmicas e animais selvagens. Lêmures que patrulham as vastas e variadas paisagens, desde as florestas tropicais de Andasibe - Mantadia à floresta Spiny e canyons do deserto semi-áridos no parque nacional de Isalo . Caminhadas e trilhas são permeadas por uma cultura antiga com crenças ritualísticas.  A ilha principal possui  algumas das mais espectaculares praias isoladas de areia branca do mundo: a Nosy Be e o arquipélago Nosy Mitsio . Porque agora? Em 2016, vai colher os frutos da estabilização política recente, com melhor infraestrutura e conservação. Novas rotas aéreas acabam de ser lançadas, tanto interna, como internacionalmente.

 

 4- O Ártico: Islândia, Groenlândia e Noruega

Todo o Ártico é um fenômeno natural. Geleiras brilhantes gigantescas, icebergs brilhantes, luz do dia nebulosa e constante (e profunda) escuridão polar resumem a terra do Sol da meia-noite. Aurora boreal é um espetáculo celestial vertiginoso e deslumbrante de penetrantes verdes, visto no inverno. Trenó com cães, motos de neve e esqui são meios de transporte legítimos. Pequenas explorações envolvem caminhadas em terra na ilha de Spitsbergen da Noruega e passeios através de icebergs à deriva, observando morsa blubbery,  e os reis majestosos do ártico, os ursos polares. Por que agora? A Groenlândia vai acolher os jogos internacionais Arctic Winter na capital Nuuk, junto com um festival de música, comida e dança, em março de 2016.

 3- Mongólia

Solidão e consolo vêm em grande medida aqui. Vasto deserto acidentado e a paisagem de um verde infinito personificam a terra pontuada por iaques e nômades amigáveis. O deserto de Gobi, o maior da Ásia, é mágico e espetacular com as falésias íngremes subindo como chamas de areia. Passar a noite em um camping selvagem, sob um céu banhado de estrelas na escuridão profunda, é uma experiência incrível. A capital Ulaanbaatar, em contraste, é uma metrópole moderna barulhenta. Por que agora? 2016, as reservas cresceram exponencialmente. Visite meados de julho para Naadam, o festival nacional dos “três jogos dos homens” - wrestling, corridas de cavalos e arco e flecha.

2- Papua Nova Guiné

As florestas tropicais, praias e montanhas enevoadas: a Papua Nova Guiné tem tudo isso. Uma das últimas fronteiras da região selvagem, possui um arquipélago em uma grande ilha continente, pendendo no Pacífico Sul. As ilhas têm alguns dos melhores cenários de mergulhos e snorkeling no mundo, lar de tubarões e baleias migratórias, bem como paredes inclinadas florestais e submarinos de coral. Por que agora? Para conhecer as novas tribos indígenas, muitas das quais foram recentemente descobertas, especialmente durante os festivais anuais tribais. Caras pintadas, tambores rítmicos e canções que ecoam na atmosfera. Um turista pode muitas vezes ser o único forasteiro por lá.

1- Quirguistão

O Quirguistão é uma grande novidade para 2016. Paisagens selvagens,  natureza e grandes montanhas. A capital Bishkek, no pé das montanhas Tian Shan, não é nem um pouco convencional e um tanto excêntrica.  O fascínio reside na vegetação de alta altitude, as “jailoos”. Caminhada, hiking ou passeio a cavalo são uma ótima maneira de conhecer a essência desse país. Por que agora? Novos itinerários incluem um Jailoo-hop por todo o caminho para o lago Song-kol - o percurso é acessível nesta nação da Ásia Central.

 

POSTS RELACIONADOS

Cúpula transparente para amantes da natureza
views 613
Arquiteto cria oásis para aqueles que gostam de passar o tempo na natureza. O arquiteto lituano Vytautas Puzeras criou uma cúpula transparente e minimalista, chamada "Oásis", para aqueles que gostam de passar seu tempo na natureza.  A ideia principal deste abrigo portátil veio da necessidade ...
Clockwork Majesty por Turkina Faso
views 487
"ClockWork Majestade", é a mais recente série fotográfica da artista Russa, que atualmente vive em Londres, Turkina Faso. As fotos parecem ter sido inspiradas  nos modelos da princesa Amidala, da série Star Wars. Confira. Via: Turkina Faso
Adeus Jet Lag!
views 594
A máscara de sono inteligente da Neuro On monitora as ondas cerebrais, o movimento dos olhos, e os níveis de oxigênio, enviando as estatísticas para um aplicativo que vai fazer você acordar no momento ideal. A terapia pode pode ser usada antes de viajar, para ajudar na adaptação de diferenças...

Divulgado no TrendNotes por: Mariana Carvalho

Uma carioca com alma cigana. Viciada em viajar, sente-se em casa em qualquer lugar do mundo. Adora conhecer outras culturas e por conta disso, morou na Austrália, EUA e passou um tempinho na Ásia. Amante das artes, é fotógrafa nas horas vagas, e curiosa por vocação, além de acreditar em sincronicidade e se achar super entendida em astrologia.

já postou 82 vezes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *